Tag Archives: Groove Armada

Para ingles ver

No final de semana passado eu e o marido fomos a dois shows. Na sexta rolou Groove Armada (meu love affair com esta banda ja tem mais de 10 anos, mas isto e assunto para um outro post) e no domingo, o Seu Jorge com o Almaz (membros do Nacao Zumbi).

O Groove Armada, como sempre, superou todas as expectativas – e olha que esta ja e a sexta vez que eu assisto a banda live. O  Seu Jorge para mim, foram outros quinhentos…. o cara e bom, voz linda, presenca de palco sem igual, mas…. eu amo este novo projeto, uma colecao de covers bem laid back e funky, com uma direcao nova,  saindo daquela formula de “samba de boteco” dele que ja estava enchendo o saco. O show comecou prometendo –  ele entrou no palco com um hood cobrindo a cabeca, o que e meio ironico neste pais que associa hoods com bad behaviour – ele tocou 6 ou 7 do disco novo, inclusive a cover espertissima de Everybody Loves the Sunshine. Meia hora depois  a coisa degringolou para ensaio de garagem, no final do show, a impressao que ficou foi que assistimos a 3 shows totalmente diferentes.

 Ai eu me pergunto, porque musico brasileiro (eu estou generalisando, eu sei, mas a minha experiencia com musica brasileira aqui fora deixa a desejar), acha que tem que escolher entre improviso & ginga ou producao & tecnica? Porque que nao da para ter os dois?  Porque tudo tem que virar carnaval para ingles ver?

Nada, em termos de musica, me fez passar mais vergonha alheia do que um show do Jorge Ben (me recuso a chama-lo de Ben Jor, coisa ridicula) no Barbican. De novo, o cara comecou bem, mas ai la pelas tantas, ele vira e fala: ” agora vamos chamar as gostosas aqui no palco” puta que pariu. Ninguem merece ne?

E a babaquice nao e confinada so a ‘artistas populares’. Assisti a um show da Bebel Gilberto no Roundhouse, que me fez deletar todos os cds dela do meu ipod. Eu ja esperava que ela ia ser chata e arrogante (tal pai, tal filha), o que eu nao esperava e que ela seria ruim de musica tambem.  Show feito nas cochas, sem entrosamento nenhum entre ela e a banda,  e eu de mane pagando £30 para ver aquela palhacada.

Por outro lado, fui assistir a um show da Marisa Montes no mesmo Barbican, que me deixou cheia de orgulho e fez o marido se interessar mais por musica brasileira. Uma producao de altissima qualidade, mas sem perder a brasilidade e ginga que  encanta todo o mundo.  E sem falar no show da Ceu recentemente, ela muito timida e com uma sensibilidade de dar gosto.

Pois e, continuo gostando do Seu Jorge mas que deu vontade de gritar: “Vai ensair meu filho” ah isso deu.